quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Muita Tralha, Pouca Tralha


Horário: 11h
Evento: 21 outubro
Localização: Fórum Eugénio de Almeida

​​Espetáculo para famílias Escolher não é tarefa fácil. Escolher o que se leva para a viagem também não. Há sempre alguma coisa que nos pode fazer falta… Quem nunca teve vontade de levar a casa toda? Pouco habituado a viajar, o casal Querido decide ir ver a sua sobrinha Manuela participar numa corrida de automóveis. Mas antes da viagem é preciso preparar a bagagem. É aqui que os problemas começam. Levam o quê? Pouca tralha? Muita tralha? Apenas o essencial? Estas decisões difíceis podem complicar o início da viagem. Só o início? É o que vamos ver. 

Ficha artística direção artística: Catarina Requeijo texto original: Catarina Requeijo e Inês Barahona conceção plástica: Maria João Castelo interpretação: Catarina Requeijo assistência de encenação: Victor Yovani coprodução: Formiga Atómica - Associação Cultural, Teatro Maria Matos ilustração: Maria Remédio​

Paradigma Dance


Horário: 21h30
Evento: 21 outubro
Localização: Teatro Garcia de Resende
​​
Em Paradigma, criamos um folclore DIY para corpos com identidades esbatidas, através de artefactos, narrativas, danças, rituais e músicas.
Paradigma é uma dança de um exotismo de lado nenhum. Um reclamar ritualista de diferença e cidadania. Uma paisagem criada de um “cadavre esquis” de referências paradoxais vindas dos lugares onde nascemos, dos lugares onde vivemos, de lugares onde nunca estivemos e sobretudo de lugares ficcionais. Tudo isto aglomerado com prática diária.
O Corpo como uma peça mecânica de um corpo orgânico maior - o teatro em si mesmo. Este corpo desenvolve-se uma cerimónia com consequências que nunca são diretas ou evidentes, e é também uma figura laboral vinda de um tempo antes da divisão entre arquiteto e construtor onde se produzem símbolos abstratos com materiais complexos e uma engenharia caseira.
Um corpo que através desta prática entra num processo de abstração tentando escapar ao seu próprio antropomorfismo​.
Ser humano, assim como ser o edifício teatral, distante da busca por uma qualquer essencia (cultural).

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Gabi Buarque no Armazém 8


Tertúlia "Conversas Improváveis"


O Centro Humanitário de Évora da Cruz Vermelha Portuguesa​ encontra-se a desenvolver o projeto "Cuidar da Natureza | Cuidar da Mata", no âmbito da ação de VOLUNTARIADO JOVEM NA FLORESTA – JUVENTUDE ATIVA ​do IPDJ. ​I​remos promover a Tertúlia "Conversas Improváveis", desta vez com o tema "C​uidar da Na​tureza - Menos Ameaças, Mais Futuro, Um olhar sobre o nosso território", no dia 19 de Outubro, pelas 21h30, na "Oficina" (Rua da Moeda). ​Junte-se à conversa!​

Horário: 21h30
Evento: 19 outubro
Localização: Bar Oficina (Rua da Moeda)

SHE convida: The Flamenco Thief


​​Craig Sutton (The Flamenco Thief) toca guitarra acústica espanhola com um pedal Boss RC para misturar ritmos modernos com técnicas de Flamenco.
Os ritmos ocidentais, orientais e africanos permitiram-lhe ligar e construir amizades duradouras com pessoas de todo o mundo. Ele anima multidões em parques turcos, cozinhas alemãs, salas de estar sérvias, hospitais holandeses, capelas francesas e tantos locais maravilhosamente únicos.

Horário: 22h30
Evento: 18 outubro
Localização: Sociedade Harmonia Eborense

Nise – o coração da loucura de Roberto Berliner


O Dia Mundial da Saúde Mental comemora-se em Outubro. A SOIR Joaquim António de Aguiar associou-se à ASTE e à MetAlentejo para exibir 4 filmes em que os heróis são pessoas com doença mental. Porque é urgente destruir tabus e preconceitos. Porque estar doente não tem que significar estar só. Porque é preciso ouvir aqueles que estão na sombra.
​​
A psiquiatra Nise da Silveira (a atriz Glória Pires), uma das primeiras mulheres que se formaram em medicina no Brasil, concluiu o curso em 1926 numa turma de 147 homens. Em 1944 inconformada com os métodos de tratamento agressivos em uso na época – choques elétricos, lobotomia, insulinoterapia – cria a Seção de Terapêutica Ocupacional no Centro Psiquiátrico Nacional. Com um método baseado no afeto e na execução de atividades ocupacionais, revolucionou o tratamento psiquiátrico no Brasil, sendo responsável pela criação da primeira clínica em regime de externato do país, a Casa das Palmeiras (1956). Foi também pioneira, no Brasil, na utilização de animais no tratamento psiquiátrico. A produção dos ateliês foi tão abundante que deu origem à coleção do Museu de Imagens do Inconsciente, hoje com mais de 370 mil obras.

​País: Brasil, 2015
M/ 16
Trailer: https://youtu.be/UeAUNvcM_xk

Horário: Sessões às 18h e 21h30
Evento: 18 outubro
Localização: Auditório Soror Mariana

"De Seda" pela Companhia de Dança Contemporânea de Évora


Um labirinto invisível habitado por uma bailarina, que gera transformação. 
Fios tecidos para amaciar o ar.
Onde fica a sua origem? Para que ponto se orientam? Que linhas provocam?
Um labirinto invisível habitado por uma bailarina, que gera transformação. Um dispositivo que se molda e afina, permitindo objetificar o espaço, o tempo e o som através da dança. Materializa, assim, o imaterializável.​
É proposto um jogo entre real e virtual, expresso na invisibilidade dos fios de seda e numa coreografia tornada imprevisível pelo próprio espaço. Um caminho de segredos e de magia estética, sonora e abstrata que paira no ar.

Horário: 21h30
Evento: 18 outubro
Localização: Teatro Garcia de Resende

Tango na Sociedade Harmonia Eborense


Estão convidados a assistir e experimentar Tango na Harmonia sob um formato de Classe/Conversa onde se falará da história deste estilo de dança, da sua origem à sua reinvenção com Piazzolla, do passo base, da razão do abraço, dos códigos de classe. Num formato informal orientado por Pablo Carlodalatri, atualmente a residir em Évora, compositor e amante do Tango num encontro com o propósito de criar regularidade no formato de aulas. Para os que quiserem experimentar não se esqueçam que o calçado preferencial tem sola de couro. Ou​ extra lisa para diminuir o atrito.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Pablo Carlodalatri aprendeu tango em Buenos Aires, é membro da associação Silvia Dopacio, que reúne todos os artistas de tango de Buenos Aires. Escreveu as letras de aproximadamente 40 tangos entre 2003 e 2011, editou um CD, preparou 15 tangos com Gabriel Merlino. Fez vários shows no Café Tortoni e noutros lugares tradicionais da Rua Corrientes, acompanhou como professor de tango, Veronica Paz em Roma e Chieko em Buenos Aires no formato de aulas particulares.

Informação retirada daqui

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...